Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » 55% dos brasileiros pretendem comprar diariamente online após pandemia

55% dos brasileiros pretendem comprar diariamente online após pandemia

Pesquisa revela que experiência de compra é responsável pelo salto da porcentagem

Por Redação

Um em cada quatro brasileiros pretende continuar fazendo compras online diariamente após a pandemia, de acordo com a pesquisa “Consumo Online no Brasil”, realizado pela Edelman sob encomenda do PayPal. Antes da pandemia do novo coronavírus, cerca de 35% dos brasileiros faziam compras online diariamente ou semanalmente; já durante os 20 meses da crise sanitária, o índice bateu em 57% e os entrevistados acreditam que esse cenário não sofrerá alterações pós-pandemia.

Mais da metade dos brasileiros (55%) disseram que continuarão comprando online quando a vida voltar ao “normal”. Esses índices vão ao encontro das conclusões de um recente levantamento do PayPal que demonstrou o entusiasmo do consumidor brasileiro por um futuro livre do uso de dinheiro físico para pagamentos.

“Buscamos, neste levantamento, focar em gastos que fazemos com mais recorrência, como pedir comida em casa, chamar um carro por aplicativo, assinar streamings e pagar por games. Ou seja, são compras que estão totalmente integradas à nossa rotina, muito por causa da experiência fluida de tomada de decisão e pagamento”, explica Felipe Facchini, Head Geral de Negócios do PayPal Brasil.

Segundo o executivo, os altos índices de adesão a compras online são um sintoma do anseio do consumidor por ter uma experiência de compra que elimine a burocracia da etapa de pagamento – exatamente o contrário do que o pagamento com dinheiro físico representa.

A pesquisa feita pela Edelman também revelou que 84,5% dos brasileiros compram e pagam online sempre que podem; 98,3% consideram essa forma de pagamento fácil e 98,8% gostam da experiência.

A pesquisa foi dividida em verticais, para melhor entender o cotidiano de compras online dos brasileiros. Em primeiro lugar na lista ficou “Alimentos e restaurantes”, com 87,9% dos entrevistados afirmando fazer compras online desse tipo; “Supermercados e farmácias” aparecem em segundo, com 72% de aderência; seguidos por “Entretenimento” (64,6%); “Transporte e mobilidade urbana”, com 56,2%; “Combustível” (34,3%); e “Games online”, com 31,4%.

Quando o assunto é segurança, o levantamento realizado pela Edelman descobriu que 78,2% das pessoas se dizem preocupadas quando compram ou pagam contas de forma virtual; mas 70% dos pesquisados garantem que não vão diminuir suas compras online quando a pandemia terminar.

Fonte: IT Forum