Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Após reunião com Levy, varejo descarta desonerações

Após reunião com Levy, varejo descarta desonerações

13/02/2015 ­ 05:00

Por Lorenna Rodrigues e Edna Simão

Os empresários do setor de varejo saíram ontem de um encontro com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, cientes de que não terão mais ajuda em forma de desoneração tributária, como nos governos anteriores. “Não adianta querer desoneração de impostos agora, mas existe uma burocracia em que se está se perdendo 2%, 3% do faturamento”, disse a presidente do Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV) e do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano.

“O ministro traçou que é um ano de ajustes e nós vamos ter que trabalhar mais com menos.” Levy se reuniu com 22 representantes de associações e grandes redes do varejo brasileiro. Ele disse aos empresários que a retomada do crescimento virá com um cenário que estimule a iniciativa privada. O ministro voltou a enfatizar a importância do reequilíbrio fiscal para recuperação da confiança e desenvolvimento dos negócios. “O setor varejista é o que mais emprega e com certeza pode ajudar muito a criar um ambiente melhor para ajudar a trazer mais investimentos e a retomada do crescimento da economia”, disse Levy na reunião, de acordo com nota da Fazenda.

O ministro pediu ainda a ajuda do setor para conscientizar a população sobre a necessidade de economizar energia. “O ministro falou que nós podemos ajudar a mobilizar a população. Disse que se cada casa diminuir 2% de energia vai ajudar muito”, afirmou Luiza. A Levy, os empresários disseram que é preciso aumentar a confiança na economia para evitar demissões no setor. Segundo Luiza, a confiança afeta mais o desempenho do setor do que medidas que restringem o crédito, por exemplo. Depois de ter vivido o que chamam de “década de ouro no varejo”, o setor encerrou 2014 com o menor crescimento em 11 anos, de 2,3%, de acordo com o IBGE.

Valor Econômico – SP