Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Aumenta o número de idosos no mercado de trabalho brasileiro

Aumenta o número de idosos no mercado de trabalho brasileiro

31/10/2014 | 18h00

Pedro Machado
pedro.machado@an.com.br

Aumentar a autoestima, evitar o isolamento social e exercitar a mente são apontados por especialistas como alguns dos benefícios do trabalho na terceira idade. E o número de idosos ativos no mercado de trabalho tem subido.

Em 2012, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), eles representavam 7,2% da população ocupada no País. No ano passado, elevaram sua participação para 7,4%, enquanto o grupo de jovens ocupados entre 20 e 29 caiu.

Estes são sinais do aumento da expectativa de vida e do envelhecimento da população. O Brasil tinha, em 2012, 25,2 milhões de habitantes com 60 anos ou mais. No ano seguinte, este número subiu para 26,1 milhões.

Estatutos definem idade máxima

O caminho natural de executivos mais experientes é largar o comando direto dos negócios e se dedicar a conselhos administrativos – da própria empresa e até mesmo de várias outras simultaneamente.

Empresários como Miguel Abuhab (Neogrid), Antônio Koerich (rede de lojas Koerich) e Zefiro Giassi (rede de supermercados Giassi) podem ser considerados exceções por ocuparem ou terem ocupado, com mais de 65 anos, o principal cargo de chefia das companhias em que atuam.

Isso provavelmente não aconteceria se as empresas que eles dirigem não tivessem base familiar ou não fossem fundadas por eles próprios.

Não é regra, mas já é comum que estatutos de companhias, principalmente as de capital aberto, determinem uma idade máxima para o seu principal comandante, explica o consultor Marcos Zick, da Kienbaum, empresa que atua no recrutamento e seleção de executivos.

Geralmente, esse limite varia entre 60 e 65 anos.

Zick esclarece que essa não é uma medida relacionada à competência ou energia para encarar os desafios. É que executivos nesta faixa etária normalmente já estão com um planejamento de vida bem definido e têm menos propensão a encarar uma rotina repleta de reuniões e viagens, por exemplo.

Além disso, é preciso levar em conta a adaptação do profissional no novo ambiente de trabalho.

— Quando se busca um executivo de grande porte, é preciso considerar que essa pessoa vai chegar e talvez demore para se adaptar, para dar resultado. Alguém com uma idade mais avançada e que já esteja pensando em aposentadoria talvez não tenha esse tempo todo — avalia o especialista, que lembra, no entanto, que sempre existem exceções.

A NOTÍCIA

A Notícia (Joinville) – SC