Twitter Facebook Linkedin
Home » SBVC na Mídia » Quais são as expectativas para a Black Friday 2020?

Quais são as expectativas para a Black Friday 2020?

Pode-se dizer que o mundo está passando por uma “Black Friday” desde o mês de abril. A ABComm registrou a abertura de mais de uma loja por minuto, no início da pandemia. Semelhantemente, o Mercado Livre contou com mais de 5 milhões de novos compradores online na América Latina e registrou alta de aproximadamente 80% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em 2019 a Black Friday foi um verdadeiro sucesso, bem acima do esperado. Isso é o que diz os dados da Ebit Nielsen, com maior movimentação de pedidos, o varejo online brasileiro faturou R$ 3,2 bilhões — considerando apenas a quinta e a sexta-feira.

Além disso, o número é 23,6% maior do que o registrado no mesmo período no ano anterior, 2018. Isso mostra que a Black Friday vem crescendo muito ao decorrer dos anos e é a cada ano mais esperada.

A Black Friday continua se mostrando como uma grande oportunidade para varejistas expandirem suas vendas e conquistarem novos clientes. E as expectativas para este ano são altíssimas.

De acordo com o Compre & Confie, só em abril deste ano, o e-commerce registrou um faturamento de R$ 9,4 bilhões. Decerto o mercado não pode prever esse crescimento tão expressivo para um período fora de grandes datas comemorativas.

Este é o motivo da grande ansiedade do mercado para o que acontecerá nessa Black Friday, uma vez que as vendas ainda não desaceleraram desde o início da quarentena.

A crise do coronavírus trouxe muitas mudanças no contexto econômico global e, por consequência, houve vários reflexos no comportamento do consumidor. Apesar disso, alguns setores acabaram vivenciando vantagens e a transformação digital foi impulsionada.

Assim, a Black Friday de 2020 pode ser uma grande oportunidade para impulsionar as vendas no mundo virtual. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, Eduardo Terra, esta será a maior Black Friday no país — se as empresas estiverem prontas para suprir a demanda, principalmente na parte tecnológica.

Contudo, Eduardo Terra alertou que ainda existem muitas incertezas, pois não sabemos qual será o cenário das lojas físicas.

“Olhando para o segundo semestre, não vejo com muito otimismo os resultados do varejo como um todo, mas acredito sim que a Black Friday será um sucesso ainda maior do que o do ano passado“, destaca o presidente da SBVC.

Certeza que essa será a maior Black Friday da história do país, não temos como afirmar. Porém, o contexto é bastante otimista para quem vende online — e quem não vende, pois, ainda existe tempo para se planejar e participar.

E, de acordo com uma pesquisa realizada pela área de Inteligência de Mercado da Globo, para 2020, uma parcela de 42% dos consumidores tem planos de comprar. Entre os que não sabem (35%) ou não pretendem comprar (23%), 8 em cada 10 mudariam de ideia se pudessem ajudar a manter empregos.

Também é importante saber que as decisões de compra ganharam novos elementos neste ano. Entre quem pretende consumir na data, 65% dizem que comprar algo será uma forma de se presentear. 29% pretendem comprar apenas pela internet e 16%, apenas por lojas físicas – em 2019, esta última parcela era de 35%.

As categorias mais desejadas são:

Roupas e acessórios (31%);
Smartphones (30%);
Eletrônicos (30%);
Calçados (26%);
Eletrodomésticos (23%);
Perfumes e cosméticos (21%);
Móveis (de 9% para 21%);
Computador (de 11% para 20%).

Bom, acredito que você já tenha percebido como as expectativas para a Black Friday 2020 estão altas, principalmente para quem vende online! Agora, é hora de se planejar e estar pronto para quando a data chegar.

Este ano de 2020 com certeza ficará na história devido a todas as adaptações, principalmente digitais, em que o mundo inteiro precisou passar. Mas o seu negócio? Está preparado? Ainda tem dúvidas sobre como se preparar para a data? Participe aqui da Black Friday iSET 2020 para ficar por dentro de tudo sobre a maior Black Friday de todos os tempos!

Fonte: ISET