Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Natural One busca ampliar venda ao consumidor com clube de assinatura

Natural One busca ampliar venda ao consumidor com clube de assinatura

Vendas on-line da fabricante de sucos têm crescido de 50% a 60% a cada mês

A pandemia de covid-19 levou a fabricante de sucos Natural One a montar a sua própria loja virtual em junho deste ano. Com vendas on-line crescendo de 50% a 60% a cada mês, a companhia dá mais um passo na sua jornada digital, com a criação do clube de assinaturas de sucos. “A ideia é que em 20 a 24 meses as vendas pelo clube de assinaturas cheguem a 50% das vendas on-line e o comércio eletrônico responda por 10% a 15% do nosso faturamento”, disse Rafael Catolé, diretor de marketing, exportação e pessoas da Natural One.

A Natural One espera fechar este ano com receita de aproximadamente R$ 500 milhões e crescimento de 50% em vendas totais. As vendas pela internet crescem de 50% a 60% a cada mês, segundo o diretor.

A Natural One é a segunda maior empresa em receita de vendas de sucos prontos, com 9% de participação, segundo dados da Euromonitor International. Ela fica atrás da Coca-Cola, dona da marca Del Valle, que tem 19,8% de participação. A Tampico é a terceira colocada, com 5,4%, seguida pela Britvic, com 2,9%. A Sucos do Bem, que pertence à Ambev, não aparece no ranking. O mercado de sucos, segundo a consultoria, deve movimentar R$ 19,96 bilhões neste ano.

Catolé disse que a companhia recebeu demanda nas mídias sociais e no seu sistema de atendimento ao cliente para montar o clube. A meta da empresa é atingir 2 mil assinantes até junho de 2021.

O clube oferece benefícios como frete grátis e descontos de até 15% nos produtos. Os planos têm mensalidades de R$ 70, R$ 120 e R$ 150, com entrega semanal, quinzenal ou mensal. Os sabores são escolhidos pelo consumidor. A plataforma de comércio eletrônico é gerenciada pela Selia Full Service.

A Natural One tem como sócios a Gávea Investimentos, com 49,9%, o fundador Ricardo Ermírio de Moraes (com 45,53% do capital) e Zwilin Holdings, acionista original da empresa, com 4,57% do total.

Fonte: Valor Econômico