Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Grupo Mateus vai inaugurar um atacarejo por semana até o Carnaval

Grupo Mateus vai inaugurar um atacarejo por semana até o Carnaval

Rede prepara novo formato de loja e diz que, a médio prazo, ainda tem muita onda para surfar com atacarejos no Nordeste

Por Redação

O trabalho é árduo para toda a equipe do grupo Mateus que quer inaugurar uma loja por semana até o Carnaval que cai na virada de fevereiro para março. A rede que se destacou por somar quase 200 lojas nos estados do Norte e Nordeste do país está bem animada com as novas regionais abertas recentemente na Bahia e em Pernambuco.

Serão inauguradas até o Natal lojas da Camiño em Itinga-MA e Dom Eliseu-PA. O Supermercado Mateus vai estrear em Canaã dos Carajás-PA e em Estreito-MA.  O Mix Atacarejo e o Eletro Mateus abrirão suas portas em Bragança-PA.

Bem otimista, o Head de Relações com Investidores do grupo Mateus falou com exclusividade à SuperHiper nesta quinta-feira. O executivo Marcelo Korber disse que já bateu a meta de abertura do número de lojas em 2021 e para 2022, citou que será maior, porém não quantificou.

Sobre o biênio da pandemia, citou que 2020 foi bem desafiador com crescimento e ganho de rentabilidade, super relevante. Em 2021, apesar do crescimento num ritmo menos acelerado, fechou os segundo e terceiro trimestres com faturamento positivo de 2% para as mesmas lojas. Detalhe: a rede previa queda de até 5% no período.

Multicanalidade

Ciente de que o modelo atacarejo chegará à maturidade daqui a alguns anos, a rede já se prepara para um novo formato. O objetivo é fornecer a experiência do super e ao mesmo tempo o mix mais enxuto do atacarejo para transformadores e comerciantes locais, antecipou o Head de RI da companhia. Segundo ele, esse modelo se adequa às cidades pequenas e médias, onde as grandes redes não chegam.

A loja-piloto, ainda sem bandeira definida, será testada dentro da Camiño Supermercados a ser inaugurada nesta sexta-feira. O super híbrido, como tem sido chamado no grupo, é um supermercado com todos os serviços de padaria, açougue, peixaria que atende às famílias e ao lado, com entrada pelo interior da loja, uma passagem para um atacarejo mais simples, bem menor e com skus de maior giro. Como a concorrência é baixíssima nessas regiões, as lojas tendem a se tornar o shopping center da cidade. Até março, serão abertas outras duas lojas com o formato que se vislumbra para o futuro.

Eventualmente, o novo formato poderá ser aberto em conjunto com o Eletro Mateus – marca do grupo que comercializa eletrodomésticos, linha branca e móveis. Se o terreno comportar e a cidade justificar o negócio, por que não os agrupar?

Com logística própria e centros de distribuição em três Estados, o Mateus domina as estradas do Norte e Nordeste e fomenta a multicanalidade com rotas inteligentes, aproveitamento e economia do transporte que vai de um ponto a outro e no caminho abastece modelos distintos de Varejo de Alimentos e Eletro.

Maré do Atacarejo

“As lojas que forem abertas em até 5 anos, na nossa cabeça, são lojas que vão performar e ter retorno com formato dominante. Ainda tem espaço para crescer e ganhar share em relação a outros espaços do varejo. Isso está muito claro, mas ela tem um limite. O formato de atacarejo é genial, funciona muito bem, temos nossas particularidades que tornam o nosso atacarejo muito diferente e na nossa opinião, muito melhor, com a colocação dos serviços em nossas lojas – padaria, açougue, peixaria. Assim, a gente quer sim surfar essa onda nesse período com as novas regionais do Nordeste ( BA, PE, AL, RN). Tem muito espaço para surfar o atacarejo, complementou o executivo”.

Olhando para frente, o Head do Grupo Mateus vê o formato cash and carry se esgotar. “Não há mais espaço para tantos, você vai ter colocações pontuais aqui ou aí …. o modelo demanda funcionários, logística com 5 mil m² de vendas. Na nossa expectativa, vai ser mais complicado abrir uma loja de atacarejo e conseguir ter mercado suficiente para justificar o volume que você precisa”, conclui Korber. Visualizando o cenário, enxerga atacarejos menores nos próximos lançamentos.

IPO na B3

Um ano após se lançar na Bolsa de Valores, B3, a Squadra Investimentos comprou 110 milhões de ações ordinárias do Grupo Mateus e hoje é o principal acionista com mais de 5% do capital da companhia.

O executivo chamou atenção para o fato de investidores Pessoa Física somarem 70 mil pessoas, “um número muito representativo em relação aos pares e concorrentes, de longe é a empresa com mais investidores com CPF do segmento no mercado”.

Colocar o Mateus na B3 ajudou a tornar a empresa mais conhecida no Eixo Rio-SP, região Sudeste do Brasil, porém o trabalho ainda é muito grande, há muito por fazer para captar investidores nacionais e estrangeiros.

Na próxima década, não está descartada a expansão para outras regiões como a vizinha Centro-Oeste.

Tamanho e SKU’s por bandeira

Camiño

– 1.400 m² (área de venda)

– 8 mil SKU’s

Super Híbrido

– 2.400 m² (área de venda)

– 12 mil SKU’s

Supermercado Mateus

– 1.800 m² (área de venda)

– 12 mil SKU’s

Mix Atacarejo

– 4.500m² (área de venda)

– 14 mil SKU’s

Fonte: Super Hiper