Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Saraiva aprimora ações no varejo online

Saraiva aprimora ações no varejo online

Diante da crise vivida no setor livreiro, a Saraiva segue apostando no e-commerce e na integração entre o canal físico e virtual para retomar as vendas. Com a operação de lojas físicas em declínio, a saída da empresa é aprimorar ações para o varejo on-line, como a inserção nos marketplaces da B2W e do Mercado Livre.

Canal que apresenta maior evolução nos números da varejista, o comércio eletrônico apresentou receita bruta de R$ 498,5 milhões nos primeiros nove meses de 2017, alta de 11,6% em relação a 2016. No terceiro trimestre, a evolução foi ainda maior, com a receita da loja virtual avançando 17%, na comparação anual. Uma das ações citadas como fundamentais pela empresa para este salto é a recente inclusão de ofertas em diversos marketplaces renomados no âmbito on-line.

“Um desempenho importante foi o início de uma nova etapa de estratégia comercial de marketplace, focando a participação em plataformas com grandes fluxos de clientes para a conquista de novos consumidores. Além da operação já existente com o Walmart, iniciamos duas novas e importantes parcerias estratégicas, com o Mercado Livre e a B2W”, diz o vice-presidente financeiro da Saraiva, Marcos Mingoni.

Além disso, outro crescimento visto foi no serviço “click & collect”, responsável por 19,6% dos pedidos realizados no comércio eletrônico da empresa no trimestre. “Continuamos com nosso foco estratégico na operação multicanal. Vale destacar a continuidade do crescimento do serviço ‘click & collect’, em que o cliente compra no e-commerce para retirar em uma de nossas lojas”, afirmou Mingoni, em teleconferência com analistas.

Declínio nas lojas físicas

Enquanto os resultados do e-commerce da varejista são promissores, as lojas físicas parecem distante de uma retomada. Com queda de 7,9% no terceiro trimestre, a receita líquida ficou em R$ 233,1 milhões. No consolidado dos nove primeiros meses de 2017, o valor foi de R$ 798,5 milhões, com uma retração um pouco menor, de 6%, frente a 2016.

Para recuperar volume de vendas nas lojas físicas, a Saraiva investiu em ações como a instalação de cafés dentro de algumas livrarias no período, como a parceria com o café Havanna no Shopping Vila Olímpia, em São Paulo, e com a Grão Espresso, para a operação localizada em Cotia (SP). Além disso, a reinauguração da livraria localizada no Morumbi Shopping continua com a participação do Starbucks.

Para diminuir os custos operacionais, a Saraiva encerrou algumas unidades e, agora, aposta em um modelo mais enxuto para as próximas inaugurações. Se a empresa contava com 113 lojas físicas no terceiro trimestre de 2016, hoje reduziu esse número para 100 unidades. A expectativa é inaugurar três novas lojas este ano.

“Avançamos na readequação de mais três importantes unidades. Entre os meses de julho e outubro, realizamos a transformação nas lojas do shopping Iguatemi Campinas, RioSul e Morumbi, reduzindo o tamanho delas em quase 40% em média, com reflexos importantes na redução dos custos operacionais”, diz Mingoni.

Fonte: DCI

Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook