Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Mercado Livre recebe licença do BC para atuar como instituição financeira

Mercado Livre recebe licença do BC para atuar como instituição financeira

Mercado Pago, braço financeiro do Mercado Livre, já concedeu mais de 4 bilhões de reais em crédito no Brasil desde o início das operações

Mercado Livre recebeu nesta segunda-feira, dia 9, a autorização do Banco Central (BC) para operar como uma instituição financeira, informa nota à imprensa distribuída pela companhia. A decisão já havia sido publicada no Diário Oficial, no último dia 15, mas só nesta segunda a autoridade monetária deu a confirmação.

O aval do BC abre espaço para o Mercado Livre consolidar sua atuação no segmento de crédito. Desde 2017 a empresa tem o Mercado Crédito, com empréstimos para quem tem conta no Mercado Pago, fintech de pagamentos do Mercado Livre.

O anúncio ocorre um mês e meio depois de o Mercado Livre ter anunciado que recebeu do Goldman Sachs um aporte de R$ 400 milhões, destinados à ampliação do serviço de crédito.

“A licença de instituição financeira permitirá reforçar o foco da companhia em expandir as operações de crédito dentro de seu ecossistema. Desde o início da oferta, em 2017, o grupo já concedeu mais de R$ 4 bilhões em créditos no Brasil, em um total de mais de 10 milhões de transações. Essas operações alcançaram principalmente consumidores e empreendedores sem acesso ao crédito no sistema financeiro tradicional”, explica, em nota, Tulio Oliveira, vice-presidente do Mercado Pago, que já opera como instituição de pagamento.

Segundo Tulio Oliveira, com a autorização, o Mercado Pago terá maior autonomia para formular produtos e serviços financeiros e de crédito.

A licença de instituição financeira também permitirá ao Mercado Pago acessar fontes de financiamento diferentes, que podem complementar a estratégia de funding da companhia.

“Ter um rol de instrumentos de financiamento mais completo beneficiará de forma estrutural toda a área de fintech e trará maior solidez, além de resiliência para o negócio”, afirma Pedro de Paula, diretor do Mercado Crédito no Brasil.

Fonte: Exame