Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Marketplace e personalização: caminhos sem volta para a cadeia de abastecimento

Marketplace e personalização: caminhos sem volta para a cadeia de abastecimento

A NRF Retail’s Big Show é sempre uma grande oportunidade de conhecimento. A edição 2020 trouxe mais do que tendências e um arsenal de informações sobre o mercado varejista, ela consolidou a certeza de que a cadeia de abastecimento está em transformação e que o emprego da tecnologia nas operações dará o tom do que o futuro reserva para o mercado varejista, atacadista e para o consumidor.

Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), afirma que as tecnologias exponenciais estão transformando não só o varejo mas toda a cadeia de distribuição. “A entrada da inteligência artificial tem mudado bastante as coisas, o uso de dados e todo aquele pacote de tecnologias que se tem discutido bastante nesse mercado”, comenta Terra. Além disso, ele destaca que é preciso entender marketplace e plataformas e como isso vem transformando o mercado B2B. “Outro ponto importante é o papel das lideranças em toda essa transformação onde tecnologia passou a ter um papel super relevante e não é mais algo tático e sim estratégico”, diz Terra.

Varejo em transformação
Eduardo Terra, presidente da SBVC

Ainda em relação à transformação digital, o presidente da SBVC destaca que o varejo está se preparando para implantar tudo o que precisa. “O varejo antes era pouco intensivo em tecnologia hoje é o contrário. Era monocanal, hoje é omnichannel e que é um varejo diferente com o consumidor em transformação e que terá esse desafio de fazer a transformação digital. Essa é a grande tendência para 2020”, afirma. Segundo ele, o varejo está se preparando para todas essas mudanças, pronto não está. “O fato é que a velocidade das informações hoje é muito rápida, o verbo hoje é estar em preparação e tem que correr atrás”, recomenda.

A tecnologia ainda vai impactar muito as operações da cadeia e já está trazendo eficiência e produtividade. “Um exemplo: seria impensável hoje um varejo alimentar sem tecnologia para fazer inventário, ele estaria morto e essa tecnologia vai ficar mais exponencial para tudo, seja para cuidar de estoque, cliente, ruptura e tudo que tange o negócio. O gestor de varejo tem que se especializar e entender de tecnologia”, afirma.

Terra ainda reforça que o atacado precisa entender como essa transformação no varejo é fundamental para o setor conseguir sobreviver, crescer e se transformar. “Assim como a gente fala que se o consumidor está mudando o varejo tem que mudar, se o varejo está mudando, o atacado tem que mudar”, finaliza.

Principais tendências

1) Disruptura do varejo
2) Personalização
3) Tecnologias exponenciais
4) O novo papel da loja
5) Evolução dos modelos de negócio
6) Desafios da liderança

Fonte: Newtrade