Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Hering decide descontinuar marca infantil PUC

Hering decide descontinuar marca infantil PUC

No primeiro trimestre de 2020, a fabricante encerrou as atividades de duas lojas da PUC. Pontos de venda já vinham sendo fechados desde o ano passado

A Cia. Hering decidiu descontinuar a marca infantil PUC para manter o foco apenas em Hering Kids. Thiago Hering, diretor executivo de negócios, disse em teleconferência com analistas que o objetivo é unificar esforços para ter uma única marca para atender o segmento.

“O mercado infantil é um dos menores em termos de potencial e sofreria [na retomada das atividades]. As mães estão mudando o comportamento, criando aluguel e reuso de roupas”, explicou o executivo.

O ativo tem menos de 20 lojas franqueadas e três próprias, que serão usadas para testar novos formatos. Em relação às franquias, estão definidas cinco conversões para os modelos Hering Kids e Basic Shop e outras terão as atividades encerradas.

No primeiro trimestre de 2020, a fabricante encerrou as atividades de duas lojas da PUC. Pontos de venda já vinham sendo fechados desde o ano passado. A receita bruta da marca somou R$ 14,87 milhões, retração de 33,8% na comparação anual. Foi o pior desempenho entre todas as marcas da companhia.“

Será possível capturar essa receita menor de PUC em Hering Kids e ter uma margem melhor. […] A marca Hering Kids deve se apropriar de algumas linhas da PUC, sendo que 74% dos clientes da marca já são clientes da outra”, acrescentou o diretor.

Ele também observou que a Cia. Hering já reabriu 203 lojas no processo de retomada das atividades após as medidas de isolamento social adotadas pelos governos. Estes pontos estão majoritariamente em cidades do interior e de rua, considerando que as restrições nos grandes centros continuam.

“Semana após semana, vemos uma melhora na produtividade das lojas, com destaque para as localizadas nas ruas, onde as pessoas vão com menos restrições. O tíquete médio [maior] tem impulsionado o resultado”, disse Hering. Mas os shopping centers enfrentam o desafio do fluxo de clientes e vendas.

No canal on-line, o executivo disse que as vendas estão crescendo fortemente. Em abril, a loja virtual teve vendas 105% maiores. “Este será o novo patamar do comércio eletrônico. Se [a estratégia for] bem executada, teremos condições de manter [o desempenho].”

O diretor-presidente da Cia. Hering, Fabio Hering, avalia, no entanto, que a companhia está tendo um segundo trimestre muito difícil. “É um trimestre extremamente desafiador devido à paralisação de grande parte das receitas”, afirmou.

Com início da pandemia, a empresa precisou rever as decisões com maior frequência. “Fazemos as correções rapidamente para nos adaptar a um ambiente volátil. [Vestuário] não é o setor mais atingido, mas é um dos mais [prejudicados] pela crise”, disse Hering.

As lojas próprias e a maioria das franquias, que incluem as marcas Hering Kids, Dzarm e PUC, fecharam no dia 19 de março.

Fonte: Valor Econômico