Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Empreendedorismo social e o varejo do futuro

Empreendedorismo social e o varejo do futuro

Os consumidores estão mais atentos ao que é falado pelas marcas e estão mais céticos quanto ao que é divulgado nas propagandas. Exigindo retóricas cada vez mais verdadeiras, que vão além do discurso, provando-as com atitudes os seus valores. Ser sustentável já não é considerado diferencial e sim obrigação. No ano passado o jornal inglês “The Guardian” publicou uma matéria com o título “Sexo não vende mais, ativismo vende. E as empresas sabem disso”, contando como o fenômeno do chamado marketing de causas tem aumentado as vendas ao redor do globo.Pesquisa divulgada pelo WGSN sobre as tendências de consumo para 2018, aponta que 66% dos millenials estão dispostos a pagar mais por produtos de empresas socialmente preocupadas, o que gerou movimentação no mercado.

Alguns casos marcantes como as iniciativas da Visa e da Amazon, gigantes do mercado, tem projetos que funcionam de forma semelhante: o cliente escolhe uma instituição e a cada compra, a empresa faz uma doação, sem nenhum custo. Outro caso inspirador é da Reserva, renomada marca de moda, com a 1p5p que com a compra de uma peça da marca, viabiliza a entrega de 5 pratos de comida para quem tem fome. O objetivo destas ações é envolver o consumidor, proporcionando experiências positivas e gerando sentimento de responsabilidade pelo seu impacto no mundo, e assim, vender mais.

Esse tipo de ação não é mais exclusividade de grandes corporações. Os empresários paranaenses Renata Chemin e Fernando Ott, colocaram em operação, ainda em 2017, O Polen (http://opolen.com.br/), uma ferramenta para lojas virtuais, que independente do seu tamanho e volume de vendas, efetua doações para causas sociais a partir da compra. Já nos primeiros meses conseguiram resultados surpreendentes. “Nossa missão é revolucionar o varejo gerando impacto social através da compra envolvendo o consumidor, não deixando-o como mero expectador, mas tornando-o parte essencial do processo”, conta Renata. Para garantir a transparência nas ações, é disponibilizada a mensuração do impacto das doações em números, fotos e vídeos, em uma landing page exclusiva para o e-commerce.

A e-lens, um dos maiores e-commerces de lentes de contato do Brasil, tinha, há muito tempo, um desejo de adicionar a responsabilidade social à experiência de compra, porém, não tinham tempo e nem recursos para desenvolver este tipo de ação. Em quatro meses usando O Polen, as compras com doação tiveram uma conversão de vendas 15% maior do que as compras sem doação, um abandono de carrinho 24% menor. Em números, foram cerca de R$840 mil a mais no volume de vendas. Para cada R$1 doado, a empresa faturou cerca de R$22, um retorno considerado acima da média.

Esse movimento mostra que, cada vez mais, o envolvimento emocional e a experiência são variáveis do varejo tão importantes quanto o próprio produto oferecido e as empresas que não acompanharem esta evolução podem estar com seus dias contados.

Fonte: E-Commerce News