Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Rede Drogão Popular quer acelerar licenciamento da marca

Rede Drogão Popular quer acelerar licenciamento da marca

Com uma meta ousada de expansão, a Rede Drogão Popular quer encerrar 2020 com 60 lojas. Para isso, aposta em modelos diferenciados de gestão para atrair investidores e farmácias interessadas na conversão de bandeira.

Fundada em 2011 pelos farmacêuticos Douglas Folle e Leandro Ferrari, a rede conta atualmente com 23 unidades próprias. Sua capilaridade inclui as cidades paulistas de Campinas, Sumaré, Hortolândia, Santa Bárbara d’Oeste, Monte Mor e Nova Odessa, onde está localizada a matriz e o centro de distribuição. Também mantém 13 lojas licenciadas, localizadas nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás.

“Nosso modelo de licenciamento tem um processo de adesão simplificado, no qual não cobramos porcentagens de faturamento, sem verba de propaganda ou royalties como no caso de franquias. O associado paga apenas uma taxa de adesão e, mensalmente, um salário mínimo pela licença da marca”, explica Rodrigo Perina, diretor de operações da Rede Drogão Popular. O licenciando responde pela gestão do próprio negócio, inclusive dos materiais de divulgação como o tabloide de ofertas. Não há uma obrigatoriedade mensal de adquirir um número predeterminado.

O executivo considera que esse modelo permite mais flexibilidade nas políticas de precificação, deixando menos engessada a operação. A rede também conta com uma marca própria de suplementos, denominada Fito Bio. “É um produto que assegura uma excelente margem de contribuição e possibilita que o licenciado fuja da guerra de preços desse mercado”, complementa. Ainda segundo o executivo, outro chamariz da rede é o repasse da verba de trade marketing para os associados. “Captamos parte do investimento de mídia disponibilizado por laboratórios e distribuidoras e depositamos para o licenciado”, ressalta.

Sortimento variado

Apesar de carregar uma bandeira popular, a rede trabalha com um mix de produtos diferenciados, com genéricos e similares, mas também com medicamentos de marca e de referência e itens de perfumaria, higiene e beleza. O volume é superior a 10 mil itens. “Temos no sortimento um diferencial das outras redes de cunho popular, com excelente custo-benefício. Por conta da pandemia, conseguimos dobrar o faturamento do mês de junho, em comparação ao mesmo período do ano passado”, afirma Perina.

“Nosso objetivo é expandir por meio de lojas próprias em cidades próximas da matriz e por licenciamento de marca em regiões mais distantes onde não estamos presentes. No momento estamos analisando oito propostas de conversão em Minas Gerais, Rio Grande do Sul e interior de São Paulo”, finaliza.

A rede, inclusive, lançou uma promoção relâmpago para os interessados em licenciar sua marca. Durante os meses de julho e agosto, a Drogão Popular está oferecendo gratuidade na taxa de adesão ao licenciamento. Os contatos devem ser feitos com Rodrigo Perina, diretor de operações, pelo telefone 19/97110-3330.

Fonte: Panorama Farmacêutico