Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Como a Amazon quer conquistar o mercado de Internet das Coisas

Como a Amazon quer conquistar o mercado de Internet das Coisas

Não contente em dominar a maior parte do comércio na Internet, a Amazon também quer marcar presença no universo da Internet das Coisas (ou IoT). Para isso, a empresa anunciou uma parceria com uma companhia de satélites chamada Iridium, para desenvolver um projeto chamado Cloudconnect, voltado à aplicações de IoT.

Matt Desch, CEO da Iridium, informou que a internet móvel terrestre (via antenas) atinge apenas 20% da população mundial. A partir desta parceria com a Amazon, o objetivo é atender os 80% restantes  que não possuem conexão móvel. A aliança entre as empresas pretende aumentar a velocidade das comunicações da banda larga por terra, mar e ar. Para isso, a Iridium conta com uma rede de 66 satélites em atividade.
Com isso, a IoT será a chave de crescimento para a geração de receitas, a partir de serviços oferecidos pela Amazon. A previsão é atingir 75 bilhões de dispositivos conectados até 2025, de acordo IHSMarkit, que prevê um crescimento anual 20% no número de aparelhos com esse tipo de conectividade.
“O Iridium CloudConnect mudará completamente a velocidade com que um satélite resolve uma demanda dentro do IoT e permitirá aos usuários da Amazon manter-se conectados em uma mesma rede, além de expandirmos as possibilidades de cobertura”, afirmou Desch ao jornal El País. “Os custos serão reduzidos, o tempo de compra será acelerado, os riscos serão reduzidos e os clientes da Amazon desfrutarão de uma conexão global”.
Você sabe o que é a Internet das Coisas?
Para enteder melhor, o termo IoT é um conceito que define quaisquer dispositivos que usamos no cotidiano e que estão conectados à internet e também entre si. Para citar apenas alguns exemplos, uma geladeira conectada a web permite que o usuário faça compras diretamente em seu display; já uma lavadora pode ser programada de acordo com o clima do dia e o sistema de ar condicionado antecipa a chegada do usuário e climatiza o ambiente de acordo com programação feita pelo smartphone.

Fonte: Olhar Digital