Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Dólar ‘salga’ quaresma em BH

Dólar ‘salga’ quaresma em BH

Mercado Mineiro aponta produtos até 41,7% mais caros este ano na comparação com ano anterior

PUBLICADO EM 09/02/16 – 04h00
LUDMILA PIZARRO

A “penitência” da quaresma este ano pode ser ainda maior para os religiosos que utilizam o período que se inicia amanhã, na Quarta-Feira de Cinzas, para evitar o consumo de carne vermelha, já que o preço dos pescados importados disparou em 2016 na comparação com o ano passado.

Segundo um levantamento realizado pelo site de pesquisas Mercado Mineiro, na capital mineira, entre os peixes frescos, a maior alta foi o de filé de merluza, cujo quilo ficou 41,7% mais caro na comparação entre os meses de fevereiro de 2016 e do ano anterior. O preço médio, que em fevereiro do ano passado estava R$ 15,24, chega a R$ 21,60 no mesmo mês deste ano.

Já na categoria dos peixes salgados, só o quilo do Bacalhau Saithe teve um aumento no preço de 39,14% este ano na comparação com 2015, segundo o estudo. Em fevereiro do ano passado, o quilo desse pescado custava em média, R$ 38,20 e no mesmo mês de 2016, passando a custar R$ 53,15.

Acompanhando a alta de preços, o quilo do Bacalhau Porto Imperial subiu 15,3%, alcançando o preço médio de R$ 80,16. No ano passado, nesse mesmo período, a média de preço do Bacalhau Porto Imperial era de R$ 69,52.

Para o diretor executivo do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, o principal motivador da alta de preço este ano foi o dólar. “O dólar é o principal responsável pela pressão de aumento dos preços dos produtos importados como o bacalhau”, avaliou. “É importante lembrar que a merluza também é importada, o que explica essa alta tão significativa”, lembra Abreu.

Refresco. O diretor executivo comemora, por outro lado, a deflação de alguns pescados. O preço do quilo da tilápia caiu 32,4%, na comparação entre fevereiro de 2016 e o mesmo mês do ano passado, segundo o levantamento. “É um alívio ver alguns preços caindo em um ano que a tendência é de preços mais altos”, afirma.

Também caíram de preço o quilo dos peixes piratinga, curimatã, traíra, tainha e sardinha. Esse último teve uma variação negativa de 10,84%, passando o preço médio do quilo de R$ 8,76 em fevereiro do ano passado, para R$ 7,81 este mês. “Segundo os pesquisados, essa variação acontece quando a pesca daquele peixe foi boa, a quantidade de pescado no mercado aumenta e o preço cai. Essa seria a explicação para essa variação”, conta Feliciano Abreu.

Os peixes que não acompanharam a tendência de queda foram o cascudo, a corvina e o filé de surubim. O preço do quilo deste último subiu 18,79% em 2016 frente o ano passado.

Salmão

Barato. O site Mercado Mineiro aponta que o quilo do salmão mais barato encontrado na região metropolitana é vendido a R$ 34,9. O mais caro sai a R$ 59,9, uma variação de 71,63%.

Preço da tilápia varia mais de 200%

Uma busca mais demorada e criteriosa entre os estabelecimentos da capital mineira pode garantir que consumidor compre o quilo da tilápia até três vezes mais barato. Segundo estudo realizado pelo site de pesquisas Mercado Mineiro, a variação de preço do produto chega a 209,3%. O menor preço do peixe identificado pelo estudo foi R$ 12,9 e o mais alto R$ 39,9. O filé de merluza também apresentou uma variação de 100%, sendo encontrado de R$ 14,90 até R$ 29,90.

Entre as menores variações encontradas pelo estudo está o quilo do bacalhau porto imperial, de 19,88%, com preços entre R$ 74,99 e R$ 89,9. Já o quilo do bacalhau saithe pode ser comprado por R$ 45,9 a R$ 69,9, uma variação de 52,29%.

O levantamento foi realizado este mês em supermercados, lojas do Mercado Central e peixarias da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Tempo on-line – MG