Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Atacarejos elevaram em 7,5% o volume movimentado de janeiro a abril

Atacarejos elevaram em 7,5% o volume movimentado de janeiro a abril

Por Redação SM – 30/06/2015
Segundo dados da Nielsen, o faturamento cresceu 5,8% em termos reais no mesmo período, quando a frequência de consumidores ao formato subiu 7%

De janeiro a abril deste ano, comparado a igual período de 2014, os atacarejos cresceram 7,5% em volume de vendas, de acordo com pesquisa da consultoria Nielsen. O percentual é superior ao registrado em 2014, quando houve um avanço de 5,3%, frente aos primeiros quatro meses de 2013. Já em termos de faturamento, a expansão este ano foi de 5,8%, descontada a inflação.

Parte desse crescimento está ligada a uma maior participação das famílias, que aumentaram em 7% a frequência nos atacarejos e também o gasto de compra. O tíquete médio em reais cresceu 8%, também no período de janeiro a abril deste ano, comparado aos primeiros cinco meses de 2014.

“Há tendência de crescimento dos atacarejos. Mas, com o bolso mais restrito, seja pela inflação ou pelo endividamento, essas lojas passaram a ser vistas como alternativas de compra também para as famílias”, avalia Olegário Araújo, diretor de atendimento de varejo da Nielsen.

Segundo o executivo, o sucesso das redes de atacarejo se deve também à maior oferta. Enquanto em 2010 havia 309 lojas dessa modalidade no País, em abril deste ano o total saltou para 401. “Há mais famílias descobrindo o atacarejo. Esse movimento ocorre também porque, hoje, no bolso do brasileiro, tem que caber, além dos itens essenciais, um consumo mais qualificado, como o smartphone”, observa Araújo.

Com 87 lojas no País, a rede Assaí, do Grupo Pão de Açúcar, já inaugurou, só neste ano, três novas unidades e conta com mais seis em construção. Belmiro Gomes, presidente da rede, também enxerga que o segmento de atacado de autosserviço vem se consolidando como uma alternativa econômica no abastecimento das famílias. “Dependendo do produto, é possível conseguir o preço de atacado na compra a partir de uma quantidade mínima, o que é bastante atrativo para o consumidor final”, diz o executivo. “Mesmo em um cenário econômico desafiador, o setor consegue ter um desempenho favorável por oferecer esse diferencial”, acrescenta Gomes. A Nielsen calcula que a economia média dos itens vendidos chegue a 12%.

A rede Atacadão, que pertecendo ao Carrefour, também planeja manter os investimentos previstos no seu plano de negócios. Só em 2014, a rede inaugurou 13 lojas. Hoje são 115 unidades de autosserviço e 20 centrais de atacado.

Fonte: Brasil Econômico

Revista Supermercado Moderno online – SP

Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook
  • Nenhuma categoria

Atacarejos elevaram em 7,5% o volume movimentado de janeiro a abril

Por Redação SM – 30/06/2015
Segundo dados da Nielsen, o faturamento cresceu 5,8% em termos reais no mesmo período, quando a frequência de consumidores ao formato subiu 7%

De janeiro a abril deste ano, comparado a igual período de 2014, os atacarejos cresceram 7,5% em volume de vendas, de acordo com pesquisa da consultoria Nielsen. O percentual é superior ao registrado em 2014, quando houve um avanço de 5,3%, frente aos primeiros quatro meses de 2013. Já em termos de faturamento, a expansão este ano foi de 5,8%, descontada a inflação.

Parte desse crescimento está ligada a uma maior participação das famílias, que aumentaram em 7% a frequência nos atacarejos e também o gasto de compra. O tíquete médio em reais cresceu 8%, também no período de janeiro a abril deste ano, comparado aos primeiros cinco meses de 2014.

“Há tendência de crescimento dos atacarejos. Mas, com o bolso mais restrito, seja pela inflação ou pelo endividamento, essas lojas passaram a ser vistas como alternativas de compra também para as famílias”, avalia Olegário Araújo, diretor de atendimento de varejo da Nielsen.

Segundo o executivo, o sucesso das redes de atacarejo se deve também à maior oferta. Enquanto em 2010 havia 309 lojas dessa modalidade no País, em abril deste ano o total saltou para 401. “Há mais famílias descobrindo o atacarejo. Esse movimento ocorre também porque, hoje, no bolso do brasileiro, tem que caber, além dos itens essenciais, um consumo mais qualificado, como o smartphone”, observa Araújo.

Com 87 lojas no País, a rede Assaí, do Grupo Pão de Açúcar, já inaugurou, só neste ano, três novas unidades e conta com mais seis em construção. Belmiro Gomes, presidente da rede, também enxerga que o segmento de atacado de autosserviço vem se consolidando como uma alternativa econômica no abastecimento das famílias. “Dependendo do produto, é possível conseguir o preço de atacado na compra a partir de uma quantidade mínima, o que é bastante atrativo para o consumidor final”, diz o executivo. “Mesmo em um cenário econômico desafiador, o setor consegue ter um desempenho favorável por oferecer esse diferencial”, acrescenta Gomes. A Nielsen calcula que a economia média dos itens vendidos chegue a 12%.

A rede Atacadão, que pertecendo ao Carrefour, também planeja manter os investimentos previstos no seu plano de negócios. Só em 2014, a rede inaugurou 13 lojas. Hoje são 115 unidades de autosserviço e 20 centrais de atacado.

Fonte: Brasil Econômico

Revista Supermercado Moderno online – SP

Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Facebook
  • Nenhuma categoria