Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Gazit avalia nova aquisição em São Paulo

Gazit avalia nova aquisição em São Paulo

30/06/2015 às 05h00

Por Cibelle Bouças | De São Paulo

A Gazit Brasil, subsidiária da administradora de shopping centers GazitGlobe, informou que estuda fazer uma nova aquisição até o fim do ano. A companhia avalia comprar um shopping de médio porte, com tamanho aproximado de 70 mil metros quadrados de área bruta locável, em São Paulo. “Devido à retração da economia brasileira, administradoras de shopping center começaram a se desfazer de alguns ativos relevantes, que em outro momento não seriam colocados à venda”, afirmou Andres Andrade, diretor de novos negócios da Gazit Brasil. A meta, segundo o executivo, é crescer em São Paulo. “Mesmo com a crise, há muita demanda de lojistas nos shoppings de São Paulo. Por isso decidimos concentrar o foco”, disse Andrade. Alessandro Ribeiro, sócio da PwC (PricewaterhouseCoopers), disse que o valor dos ativos de shopping centers está mais baixo neste ano, mas não precisou um número. Para o analista, há espaço para novas aquisições no mercado neste ano. Em 2014, a PwC contabilizou 17 transações no setor, totalizando R$ 7,1 bilhões. Em 2013, houve 10 aquisições de shopping centers, no total de R$ 2 bilhões. A Gazit fez sua primeira aquisição no Brasil há sete anos. Em São Paulo, é dona do Shopping Light, do Top Center Shopping, do Morumbi Town (em construção), de um Extra Hipermercado e detém 60% do Mais Shopping. Em Alphaville, administra o Shopping Flamingo. Em Campinas, é dona do Prado Shopping Center. Também detém o San Pelegrino Shopping Mall, em Caxias do Sul (RS). No mundo, a Gazit­Globe administra 524 propriedades em 20 países, somando US$ 21 bilhões em ativos. No primeiro trimestre deste ano, a GazitGlobe registrou um lucro líquido de US$ 97 milhões, 140% acima do lucro alcançado no mesmo intervalo do ano anterior. A receita com aluguéis cresceu 24% no período, para US$ 387 milhões. O lucro operacional líquido aumentou 26%, somando US$ 268,3 milhões. No Brasil, a administradora possui R$ 1,1 bilhão em ativos. O país respondeu por 2% do lucro operacional da Gazit­Globe no primeiro trimestre, o dobro da participação que possuía um ano antes. Mia Stark, presidente da Gazit Brasil, reconhece que o mercado consumidor brasileiro está mais retraído neste ano, mas vê potencial de fortalecimento dos negócios no longo prazo. Ela quer reforçar a oferta de serviços nos shoppings do grupo. De acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o segmento de conveniência e serviços representa 7% do mix de lojas nos shoppings. O segmento cresceu 13,86% em vendas no primeiro trimestre, ante igual período de 2014. No mesmo intervalo, as vendas totais de shoppings cresceram 7,96%.

Valor Econômico – SP