Twitter Facebook Linkedin
Home » Notícias » Empresas têm interesse em locação de energia produzida por painéis solares

Empresas têm interesse em locação de energia produzida por painéis solares

13/04/2015 ­ 05:00

Por Rodrigo Polito

O negócio de locação de sistemas de geração distribuída de energia a partir de fonte solar também tem chamado a atenção de gigantes do setor de energia. Na semana passada, a italiana Enel, por meio de sua subsidiária Prátil, fechou contrato com a rede Farmácias Pague Menos, para a locação de geração de 1.750 megawatts­hora/ano (MWh/ano) de energia produzida por painéis solares, durante 15 anos, que atenderá 40 lojas da varejista no Ceará. O valor do negócio não foi revelado. A energia será gerada por um “condomínio solar”, de 1 megawatt (MW) de capacidade instalada, que será construído pela Prátil, no Ceará, e será injetada na rede da Coelce, distribuidora que atende o Estado e que também pertence à Enel. A Coelce, então, fará a compensação em quilowatt­hora (kWh) da energia gerada na conta de luz das lojas das Farmácias Pague Menos. O condomínio solar será construído na cidade de Limoeiro do Norte, com investimentos de R$ 7 milhões, que ficarão a cargo da Prátil. Serão utilizadas 3.420 placas fotovoltaicas, com potência instalada total de 1060 kWp, o suficiente para abastecer cerca de 900 residências diariamente.

De acordo com a Prátil, o condomínio solar vai cobrir uma área de 10 hectares e a sua construção se dará em duas etapas. A primeira, prevista para ser concluída no final de 2015, prevê a instalação de painéis fotovoltaicos em uma área de 3 hectares. Posteriormente, o restante do espaço também será equipado com painéis fotovoltaicos, ampliando gradualmente a capacidade de geração da unidade. O principal executivo da Enel no Brasil, Marcelo Llévenes, planeja fechar novos contratos do tipo ainda este ano. “Sabemos que as tarifas de energia hoje estão particularmente altas por motivos transitórios. A situação ficará mais tranquila no futuro. Mas já faz três anos que o custo da energia solar é mais baixo que o da tarifa da energia”, disse Llévenes. Segundo Albino Motta, representante da Prátil, o condomínio solar funciona como uma instalação de energia solar em uma residência, mas com a vantagem de o cliente não precisar de espaço para o painel no telhado, nem arcar com os custos de instalação e manutenção. “O cliente garante o preço da energia antecipadamente e obtém descontos na conta de luz, já que toda a energia gerada pelos painéis solares operados pela Prátil é injetada na rede elétrica”, explicou ele.

Valor Econômico – SP